Prólogo do livro


 

do escritor Eder Ferreira Leite

 

 

Caro leitor,
 

Como verá, ao folhear este despretensioso trabalho, assim o digo, pois pretensão não tive, de publicar um livro, na acepção da palavra.

Passo às suas mãos, embalado apenas pelo meu bom humor. E caso não tenha, ou neste momento esteja mal-humorado, desculpe-me, este livrete está em mãos erradas.

Apenas catei aqui e ali, nas dobras do tempo, pedaços de momentos alegres na vida tortuosa e sofrida deste “Barnabé”, perdido, por 36 anos, nas paragens montanhosas destas Minas Gerais.


O autor.