Prefácio do livro

 

do escritor tijucano Camilo Chaves

 

 

Este livro é produto de longos anos vividos no sertão, elaborado à influência de múltiplas atividades, por um sertanejo amante do seu "habitat".
 

No sertão a vida é multifária pela carência de recursos, e cumpre a todo homem se desdobre em aptidões. Não cause, pois, admiração que o despretencioso autor desta obra tivesse sido vaqueiro, boiadeiro, comerciante, fazendeiro, político, jornalista, parlamentar e professor.
 

As personagens, aqui redivivas e autênticas, surgem na urdidura do relato como caprichosa elaboração do meio.
 

Motivo de satisfação será para o autor se puder pintar, com realce, as lutas, virtudes e fraquezas das gerações que se imolaram na edificação de nossa pátria.
 

Possam os novos bandeirantes, na marcha vitoriosa, lembrar a contribuição dos sertanejos ignotos que prepararam o caminho para as glórias do presente.
 

Esta obra não está concluída e pede novos capítulos. Vai, pois, dedicada à juventude estudiosa, empenhada na conclusão da História de um Brasil triunfante e perpetuado.


CAMILO CHAVES.
Belo Horizonte, julho de 1943.