Brasão da Família Paranaiba

 

 

        

 

          A partir do ano de 2010, a tradicional Família Paranaiba, de Santa Vitória e Ituiutaba, passou a possuir um Brasão de armas, escolhido em um concurso, com inscrições restritas aos membros da família.
      Este Brasão é o resultado de um concurso elaborado por Sandra Maria Paranaiba Souza e Gerson Sebastião de Souza, autores do livro Família Paranaíba — Ramo Tomaz Paranaiba (Mazico), escolhido entre onze trabalhos inscritos.
O vencedor foi o trabalho de autoria de Thiago Hemerson Gomes Ramos Paranaiba, reproduzido abaixo,

 

 

 

      Colaborou na escolha, como um dos jurados, e na criação do brasão da Família Paranaiba, e escreveu a sua descrição, o ituiutabano Edson Angelo Muniz, historiador, genealogista, autor e editor do livro “Família Muniz — Tronco do Triângulo Mineiro”, estudioso da Heráldica e membro da ALAMI — Academia de Letras, Artes e Música de Ituiutaba. A montagem do brasão da Família Paranaiba, em CorelDraw, foi executada pela Agência de Publicidades Realiza. A transposição do brasão para preto-e-branco e o modelo para entalhe em madeira foram feitos pelo design gráfico Edson Angelo Muniz.

       

* * * * *

 

Depoimento

 

 

O estudo dos brasões é emocionante, devido à beleza e o significado de cada figura neles contida. Mais emocionante ainda, e gratificante, foi para mim participar da comissão julgadora para escolher o brasão da família Paranaiba, que tem tradição em Ituiutaba. Depois de analisarmos os onze brasões inscritos, escolhemos dois deles para um exame mais minucioso. Para isso, os originais foram escaneados e o arte-finalista da Agência Realiza, Ricardo Francisco Gonçalves, sob a supervisão de Magno Alves, um dos jurados, montou-os no CorelDraw, já fazendo algumas correções e adequações a partir de sugestões nossas.

Algumas mudanças foram feitas para adequar o brasão da família Paranaiba às normas da Heráldica — lei que rege a criação dos brasões. Por exemplo: as cores, a cruz e os animais. Não se pode aplicar cor esmalte sobre cor esmalte: azul, vermelho, verde, marrom, púrpura, preto, vinho, escarlate, laranja. Nem cor metal sobre cor metal: ouro e prata. O formato do escudo, peça principal de um brasão, foi ajustado para um formato existente na Heráldica. O cavalo tem que estar representado marchando... Outras mudanças que ocorreram no brasão foram mais de efeito gráfico; por exemplo: a plantação de milho mais rala, para que se identifique a cana do milho, e a posição dos animais, da cruz e das estrelas.

Os outros trabalhos também merecem os nossos parabéns, mas entendo — e creio ter sido este também o pensamento dos meus colegas da comissão julgadora — que o brasão escolhido é o que mais retrata a história da família Paranaíba.
 

Edson Angelo Muniz.

 

 

 

* * * * *

 

LEITURA DO BRASÃO DA FAMÍLIA PARANAIBA

       

Escudo moderno, Semipartido truncado, sendo a 1.º Parte de ouro; de azul e de prata; e a 2.ª Parte de ouro, com faixetas em azul e prata.

1.ª Parte: no cantão direito do chefe, um cavalo em marrom, atrás deste uma vaca em marrom; abaixo do cavalo, um porco em marrom, atrás deste, um monte de toras de madeira, em marrom e prata. Na parte inferior, uma cerca de madeira, em marrom, e seis pés de milho, em verde. No cantão esquerdo do chefe, ocupando 50% deste, um campo de azul no fundo, com quatorze estrelas de cinco pontas, em ouro, dispostas em retângulo, com uma cruz de Florença no centro, em prata; abaixo do campo azul, um retângulo em prata, tendo ao centro um triângulo isósceles em escarlate.

2.ª Parte: na sua parte superior, sobrepondo a ponta do escudo, cinco faixetas em azul, intercaladas com quatro faixetas em prata, sendo que as cristas das ondas da primeira faixeta azul estão alinhadas com o centro do coração do escudo. No cantão direito da ponta do escudo, cinco peixes em marrom, dispostos verticalmente (em pala), e no cantão esquerdo da ponta, uma canoa em preto e prata.

Nos dois lados do escudo (direito e esquerdo), um ramo de café com folhas em verde e frutos em vermelho; na divisa do escudo, um listel em azul, com os dizeres “1832 - FAMÍLIA PARANAIBA - 2010”, em prata. As datas indicam a chegada do primeiro antepassado da família a Santa Vitória, vindo do sul de Minas (1832), e a criação do brasão da família (2010).

 

SIGNIFICADO DO BRASÃO E DE SUAS PEÇAS

 

Tipo: a principal peça do brasão, o escudo, de ouro, azul e prata, é do tipo moderno, conhecido também como Francês, Espanhol ou Alemão.

Partição: o brasão é semipartido truncado, com linhas retas e curvas (cortado na horizontal em duas partes, sendo a 1.ª delas partida na vertical em duas partes. A parte da sinistra, por sua vez é cortada na horizontal em outras duas partes menores).

     

Cores metálicas:

Ouro (ou amarelo): cor predominante neste brasão, simboliza conhecimento, riqueza, perfeição, glória, esplendor, grandeza, soberania, poder e inalterabilidade dos bons princípios;

Prata (ou branco): simboliza paz, humildade, pureza, amizade, verdade, integridade, trabalho, prosperidade, religiosidade e vitória sem derramamento de sangue.

  

Cores esmaltes:

Azul: símbolo de justiça, nobreza, perseverança, zelo, lealdade, liberdade, recreação e formosura.

Verde: símbolo de força, cortesia, respeito, abundância e, principalmente, símbolo de esperança, porque lembra os campos verdejantes na primavera, fazendo "esperar" uma copiosa colheita.       

Preto: símbolo de prudência, astúcia, rigor, honestidade, sabedoria, moderação, firmeza de caráter e tristeza.

Marrom: simboliza estabilidade, constância, responsabilidade e maturidade.

Escarlate (ou vermelho escuro): cor do sangue, simboliza fertilidade e a união dos membros da família pelos laços consanguíneos.

 

Peças e figuras heráldicas:

 

Elementos externos:

Barra sobre o escudo: de ouro e azul, as cores predominantes, indica que este brasão pertence a uma família.

Dois ramos de café, com frutos maduros: um de cada lado do escudo, expressando  uma  das  riquezas  do grande estado mineiro, especialmente a cultura deste ouro verde na região de origem dos antepassados da família Paranaíba.

Listel: na divisa do escudo, com a inscrição “1832 — Família Paranaíba – 2010”.

 

Elementos internos:

Cavalo: valor, docilidade, rapidez e mando. Representado marchando, indica o meio de transporte terrestre, e para trabalhar a terra, mais usado pelos antepassados desta família.

Vaca: representado parado, é animal pouco usado na Heráldica, mas de vital importância na criação e sustento dos membros desta família, simboliza aqui a pecuária e a grande produção de carne bovina, leite, queijo e outros derivados.

Porco: representando a criação de porcos domesticados para abate e consumo frequente da família.

Toras de madeira: as três toras de madeira lembram a extração de madeira da mata nativa para a construção das casas, curais, cercas e utensílios em geral.

Cerca de madeira: representando a organização e a demarcação dos limites das fazendas geridas pelas membros desta família, seja no sul de Minas, seja na região de Santa Vitória.  Estrategicamente colocada próxima das faixetas azuis e brancas, que representam um rio, indicam que a grande gleba de terras que pertenceu à família Paranaíba, a Fazenda São Jerônimo, se localizava às margens do rio Paranaíba.

Pés de milho: os seis pés de milho indicam o trabalho na agricultura e a grande produção de grãos, oriundos da terra dadivosa e fértil: arroz, feijão, milho e outros.

Cruz de Florença: que tem as extremidades de seus braços terminados em forma de flores de lis, representa a religiosidade dos membros desta família.

Estrelas: na Heráldica, a estrela simboliza a aspiração a coisas superiores ou a ações sublimes, no brasão da família Paranaíba, as quatorze estrelas, dispostas uma ao lado da outra, formando uma corrente em volta da cruz de Florença, simboliza a união da família em torno de um só Deus, e também representa os quatorze filhos do casal Mazico e Doca.

Triângulo isósceles: sobre o retângulo de prata, simbolizando a bandeira de Minas Gerais, estado onde a família se radicou e multiplicou, e na Heráldica o triângulo é o símbolo da liberdade, igualdade e fraternidade.

Pé ondado: de nove faixetas de duas ondas — cinco faixetas de azul e quatro de prata —, representando o Rio Paranaiba, rio que deu origem ao sobrenome desta família.

Peixes: o peixe foi um dos primeiros símbolos criados para representar realidades da fé e da vida cristã. Os cinco peixes neste brasão, postos em pala (verticalmente), representam a pesca, como fonte de alimento, como distração e também como meio de sobrevivência desta família.

Canoa: embarcação utilizada para a pesca e como meio de transporte fluvial.

 

Edson Angelo Muniz.

 

 * * * * *

 

Brasão da Família Paranaiba

(para aplicação em preto-e-branco)

 

 

 

* * * * *

 

Brasão da Família Paranaiba

(para entalhe em madeira)

 

 

 

* * * * *    

Clique aqui para voltar ao Menu

"Estudos sobre Heráldica e Vexilologia"

na página de Edson Angelo Muniz

 

 

* * * * *