SÃO  JOSÉ  DO  TIJUCO

VILLA  PLATINA

ITUIUTABA

 

HILARIÃO CHAVES


 
 

Nome associado para todo o sempre à geração de energia elétrica em Ituiutaba. O luxo que, parece, desbancou lampiões, lamparinas, candeias e rádios de pilha, dentre outras relíquias de museu, é sinônimo de Hilarião para os ituiutabanos.

Ele construiu a usina pioneira de 80 HP do Salto do Moraes, fundou e dirigiu a Empresa Luz e Força Ituiutabana S/A — ELFISA.

Acendeu-se a lâmpada mnemônica, caríssimo leitor?

A chegada da CEMIG nestes rincões obscureceu um pouco o trabalho desse pioneiro das claridades. Culpa de nossa memória de cada dia, viciada em empanar o brilho do passado e fixar-se no aqui e agora. Fosfato nela! Em tempos bicudos de racionamento de energia elétrica, acendamos tochas sobre fatos que fazem a História.

Oportuno o ato do Prefeito Públio, desapropriando o casarão construído por Hilarião Chaves, na década de trinta, na Rua 22 nº. 333. Tão importante quanto a arquitetura de época, preservam-se também quase duzentos e trinta e cinco metros quadrados de aspectos da identidade, usos e costumes do povo tijucano. Naquelas paredes inscreve-se parte da História local.

O Chefe do Executivo Municipal pretende fazer da casa um Centro Cultural que abrigue valores e tradições da centenária São José do Tijuco. Palpite atrevido: Centro Cultural Hilarião Chaves, por que não?

___________

Texto extraído de O Livro de (quase) Todos, de autoria de Alciene Ribeiro Leite (Egil, 2004, página 158).