Hino de Edson Angelo Muniz

 

 

Hino a Gurinhatã

 

                               

 

Gurinhatã, cidade hospitaleira,
pedacinho das Minas Gerais!
Em meu peito tu és a primeira,
tuas belezas não têm iguais.

Tua terra sagrada, vermelha e fértil
produz, com abundância, o alimento dadivoso.
Alimentas os teus filhos e abasteces o Brasil
com carne, grãos e leite saboroso.

São Jerônimo é o teu nome primeiro,
herança do ribeirão, de águas cristalinas,
São Jerônimo é o teu santo padroeiro.
O Rio da Prata banha teus campos e tuas colinas.

Por ti, Gurinhatã, dou a minha vida,
luto com garra, sou um cidadão leal,
embora tu estejas bem protegida
por montanhas, muralha natural.

Teu povo, honesto e trabalhador,
é gente amiga, que sabe cativar.
Exalto para o mundo o teu grande valor.
Gurinhatã, sempre hei de te amar!

 

_____

Nota do autor: este poema foi escrito em 2006, para concorrer a um concurso de hinos que seria realizado na cidade de Gurinhatã, primeiras terras de meus antepassados da Família Muniz. Como o concurso não foi efetivado, o poema ficou guardado por longos 5 anos. Sua primeira publicação aconteceu em outubro de 2011, no jornal "O Milênio", de Gurinhatã, do jornalista Gildo Silva de Moraes.

 

 

Em primeiro plano, o prédio da Prefeitura Municipal de Gurinhatã;

ao fundo, parte da muralha de serras que a circundam...

 

Serra do Junco, município de Gurinhatã, Minas Gerais.

 

 

 

Para adquirir livros de Edson Angelo Muniz, clique aqui.