Símbolos Municipais

de Ituiutaba

A Constituição Federal faculta ao país, estados e municípios brasileiros a adoção de símbolos próprios para retratar a história e as características de cada um deles. A grande maioria dos municípios adotou como símbolos o brasão, a bandeira e o hino.

Os três símbolos municipais de Ituiutaba, que foram oficializados pela lei n.º 3.094 de 8 de dezembro de 1994, no governo do prefeito Dr. João Batista Arantes da Silva, são os seguintes: Brasão de Armas, Bandeira e Hino.

 

 

 

 

O Brasão de Armas de Ituiutaba tem o seu padrão no projeto elaborado pela arquiteta Andréa Oliveira dos Santos e Sá de Araújo, vencedora do concurso público (lei n.º 2880, de 22 de junho de 1992), via Fundação Cultural de Ituiutaba.

 

 

 

A Bandeira de Ituiutaba, reconhecida de domínio público, aceita por unanimidade pela população, foi idealizada pelo prefeito Álvaro Otávio Macedo de Andrade e pela educadora Ester Majadas de Araújo, confeccionada pelas senhoras Júlia Diniz e Geralda França Ribeiro, em 1969, ocasião da apresentação de nossa cidade no programa "Mineiros Frente a Frente", da TV Itacolomy de Belo Horizonte. A bandeira teve a sua descrição analítica elaborada em 13 de abril de 1992 pelo arquiteto Hygino José Ferreira Neto (hoje acadêmico da ALAMI).

 

 

O Hino de Ituiutaba foi composto, em 1920, por Dr. Luiz Jefferson Monteiro da Silva (letra), e Jorge Marques da Silva (música). O hino foi atualizado apenas na estrofe que incluía o Canal e a Cachoeira Dourada, pelo Dr. Manoel Tiburcio Nogueira, conforme deliberação do Conselho Curador da Fundação Cultural de Ituiutaba, em 1994.

 

Clique aqui para ver a letra

do Hino de Ituiutaba

 

        Há que se ressaltar o papel fundamental da Fundação Cultural de Ituiutaba, gestão da professora Lázara Maria Alves Moraes de Souza, que, recebendo a incumbência de realizar o concurso público que criou o Brasão e definiu o Hino, permitiu que Ituiutaba, conforme a Lei Orgânica Municipal no seu artigo 5.º, tivesse os seus símbolos municipais oficializados.
 


* * * * *

 

 

Símbolos Municipais de Ituiutaba

estão errados

 

 

Em 16 de setembro de 2006, no evento comemorativo dos 105 anos de emancipação política de Ituiutaba, fui o mestre de cerimônia, e sinto-me honrado por ter contribuído, voluntariamente, com aquela manifestação cívica. Um mês antes do evento, conversando com a então Assessora Administrativa da Fundação Cultural de Ituiutaba, Sra. Maria Adelina Vieira Cardoso e Gomes (Acadêmica  da  ALAMI), pediu-me ela que explicasse, em praça pública, o significado do brasão de armas de Ituiutaba, que ela havia encontrado, todo empoeirado, no canto de uma sala. Aceitei esse desafio — mesmo não sendo um heraldista. De posse das informações sobre o brasão, pesquisei na internet alguns sites que divulgam literatura sobre brasões e os outros símbolos municipais. Acabei descobrindo que o brasão e a bandeira de Ituiutaba estão errados, pois não seguem algumas normas estabelecidas pela Heráldica e pela Vexilologia, que são as ciências que estudam, respectivamente, os brasões e as bandeiras.

No site do heraldista Wagner Costa, li as seguintes informações: “Poucos brasileiros conhecem as normas heráldicas e as leis que instituem os símbolos cívicos. Daí, a frequente ocorrência de distorções. Por desconhecimento, vários brasões e bandeiras municipais são apenas artísticos, com formas desconhecidas e fora dos padrões estabelecidos pela Heráldica e pela Vexilologia. Outra razão pode ser a própria evolução histórica: o município mudou, tem hoje outras referências, e o brasão já não lhe é correspondente. Na coroa mural dos brasões municipais, também são frequentes os erros na aplicação das cores e do número de torres. Existem várias cidades cuja coroa mural de seu brasão é da cor metal (ouro) que é privativa à capital de estado; as portas das torres são pintadas de outras cores diferentes da cor correta que é a preta, ou simplesmente não existem.”

Isso posto, a coroa mural do brasão de armas de Ituiutaba está com a cor errada, ouro (privativa a Belo Horizonte) quando deveria ser prata. As duas torres das extremidades da coroa não podem ser completas, só a metade delas devem aparecer na frente, dando a ideia de que estão completando circularmente a forma da coroa. Faltam as portas em cada uma das torres, portas que devem ser pintadas de negro, e está faltando a muralha por trás das torres. Outro detalhe: a coroa mural tem sete tijolos sobre cada torre, quando a maioria dos outros brasões tem somente três tijolos.

“Outro erro comum”, continua Wagner Costa, “é o uso do nome dos meses por extenso ou abreviados, nas datas alusivas e ou comemorativas das cidades. Como por exemplo: 8 de outubro de 1987 ou 08 - DEZ - 1987, onde DEZ simboliza o mês de outubro. A Heráldica é uma ciência universal e cabe a todo heraldista o uso numérico das datas. No caso: 8 - 10 - 1987.”

O brasão também recebe um listel, que é a moldura ou o filete, com algum slogan ou o nome da localidade e datas comemorativas do município. O brasão de Ituiutaba traz em seu listel as seguintes inscrições: “ITUIUTABA” e, logo abaixo do nome, “16 DE SETEMBRO DE 1901”. Conforme explicado anteriormente, esta última inscrição também deverá ser corrigida para “16 - 9 - 1901”.

“Não pôr esmalte sobre esmalte nem metal sobre metal.” Esta é uma das principais leis da Heráldica. Portanto, a estrela que simboliza Ituiutaba no pontal do Triângulo Mineiro, não pode ser em ouro, pois a asna (peça em forma de V invertido) é em prata. Devemos mudar a cor da estrela para vermelho, azul, preto, verde ou púrpura, que são as cores dos esmaltes usados nos brasões. Nas correções, abaixo, optei pela cor púrpura, que simboliza respeito, dignidade, sabedoria, grandeza, soberania...

“O brasão e a bandeira de um município devem ter as mesmas cores e cada município só pode ter um brasão”, diz ainda outra norma da Heráldica. A partir dela, descobri que a bandeira do nosso município está completamente fora dos padrões da Heráldica e da Vexilologia, pois não tem as mesmas cores do brasão municipal (azul e vermelho) e traz no centro um outro “símbolo” completamente diferente do brasão de armas, sendo que este último é o símbolo correto para se colocar na bandeira. Além disso, a nossa bandeira está fora das medidas corretas, que são 100x140 módulos, o tamanho da bandeira do Brasil.

Acompanham este texto, no início da página, ilustrações do brasão e da bandeira atuais, e, abaixo, seguem quatro opções para a correção do brasão e cinco opções para a correção da bandeira.

 

Opções de Correção para o Brasão de Ituiutaba

(feitas por Edson Angelo Muniz)

 

N.º 1

 

        No brasão acima mantive a haste de milharal e a cana-de-arroz do desenho original, que não estão erradas.

 

  

N.º 2

 

No brasão acima coloquei a haste de milharal um pouco mais grossa do que a do original e com duas espigas de milho, porque, se nosso município produz 42 mil toneladas de grãos, um pé de milho que dê pelo menos duas espigas denotará melhor esta farta produção do que um que produza apenas uma espiga. Notei também que no brasão original as folhas da cana-de-arroz estão iguais às da haste de milharal, quando, na verdade, elas são bem menores e mais finas. E ainda: no desenho da cana-de-arroz aparecem cinco cachos de arroz em apenas um caule, quando, normalmente, brota um cacho de arroz em cada caule. Fiz também mudanças quanto a esses detalhes.

 

 

N.º 3

 

No brasão acima acrescentei também a figura da vaca, pois um rebanho bovino que atinge a casa das 250 mil cabeças, produzindo 33 milhões de litros de leite e 13 mil toneladas de carne por ano, não pode ser simbolizado somente pela figura solitária de um touro.
 

 

N.º 4

 

No brasão acima somente mudei a cor dos animais para sua cor natural, e eliminei os tijolos da coroa mural, o que é permitido pela Heráldica.

 

 

Opções de Correção para a Bandeira de Ituiutaba

(feitas por Edson Angelo Muniz)

 

N.º 1

 

        No modelo acima, apenas troquei o símbolo da bandeira atual, que está errado, para o brasão da cidade.

 

 

N.º 2

 

 

N.º 3

 

 

N.º 4

 

 

N.º 5

 

* * * * *

 

O Hino de Ituiutaba também apresenta alguns problemas, mas o pior deles é que no site da Prefeitura, da Câmara Municipal e da Fundação Cultural de Ituiutaba, assim como em outras páginas da internet, na época de minhas pesquisas, estava sendo divulgada a letra do hino com erros de digitação. Fiz a denúncia da existência desses erros à Prefeitura, à Câmara Municipal e à Fundação Cultural, por meio de um documento de 50 páginas elucidando os erros dos três símbolos, e, aos demais sites, enviei uma mensagem eletrônica, alertando para os erros e enviei-lhes, anexo, o hino corrigido.

Como tenho uma paciência de Jó, esperei por quatro anos, para só então colocar este assunto na mídia. Quando a gente não sabe de um erro, vamos convivendo com ele, sem problemas, e até ensinando-o; agora, quando o descobrimos ou quando alguém nos aponta o erro, de imediato devemos corrigi-lo. Assim acontece com qualquer cidadão, em qualquer segmento da sociedade. Então eu fico me perguntando: “Por que os nossos políticos, tanto do Executivo quanto do Legislativo, não se interessaram, até hoje, em corrigir os erros que eu apontei nos símbolos do município? Será que se esses erros tivessem sido detectados por um deles, eles agiriam da mesma forma?”

Preocupado com esses erros e querendo colaborar com a correção deles, mandei imprimir 6.000 folhas com o hino de Ituiutaba correto — patrocinadas pela Ponto D’água, Distribuidora da Água Boníssima, pela EGIL, Editora Gráfica Ituiutaba Ltda. e pelo Dr. Gemides Belchior Júnior, e os distribuí em algumas escolas do município de Ituiutaba para que nossas crianças e jovens aprendam a cantar o nosso hino corretamente.

 

A propósito, publicamos neste site a letra correta.

 

Clique aqui para ver a letra

do Hino de Ituiutaba

 

 

A Secretaria de Educação, Esporte e Lazer, bem como a Superintendência Regional de Ensino, deveriam também imprimir o hino correto em folhas e distribuir entre os professores e alunos, para que estes erros sejam extirpados de nossas escolas e da nossa história.

Em meados do ano de 2010, acompanhado de alguns colegas da ALAMI — Academia de Letras, Artes e Música de Ituiutaba —, entreguei ao vereador Dr. Gilberto Aparecido Severino uma outra cópia do documento que eu redigi, e expliquei  a  ele  os  erros  dos  nossos  símbolos  municipais. O Dr. Gilberto ficou muito interessado e prometeu trabalhar no projeto para levá-lo à discussão no plenário da Câmara. Estive com ele outras vezes, cobrando uma resposta; porém, ele também não levou adiante esta questão, apesar de ter me garantido que iria realizar uma sessão para tratar desse caso.

Devo confessar aqui que eu fui um dos que copiaram o hino do site da Prefeitura, acreditando que ele estivesse correto, e o transcrevi no meu livro Família Muniz — Tronco do Triângulo Mineiro, na página 612.

Para avaliar se os novos símbolos municipais de Ituiutaba, propostos neste artigo, estão de acordo com o que estabelecem as leis da Heráldica e da Vexilologia, e para não incorrermos em novos erros, é necessário que o município contrate um profissional da área: o Heraldista, que irá analisá-los, ratificando-os, bem como irá fazer a descrição de cada um dos símbolos, para que a Câmara Municipal de Ituiutaba possa sancionar a Lei de Alteração dos Símbolos Municipais de Ituiutaba.

Iniciei em novembro de 2011 um plebiscito para que os meus conterrâneos escolhessem, entre as opções acima, o novo brasão e a nova bandeira de Ituiutaba. Meu propósito era colher assinaturas e votos nas empresas, entidades, escolas, colégios e faculdades; sair às praças, ruas e avenidas mostrando a todos os tijucanos os símbolos errados e os corretos para que fosse escolhido um modelo de cada símbolo; sendo que o brasão que tivesse o maior número de votos seria aplicado ao modelo da bandeira que tivesse também o maior número de votos.

Infelizmente, e apesar de contar com muitas assinaturas, até dezembro de 2013 eu não havia conseguido votos  suficientes para encaminhar o resultado à Câmara Municipal. Como em janeiro de 2014 eu me mudei de Ituiutaba, engavetei os documentos e as folhas com as assinaturas, e não mais lutei por estas correções.

Porém, se algum Prefeito ou Vereador de Ituiutaba tiver interesse em corrigir os Símbolos Municipais de nossa cidade, e quiser a minha colaboração, pode contar comigo...

 

 

Edson Angelo Muniz

 

Historiador, Escritor, Genealogista,

Tecnólogo em Processamento de Dados,

Acadêmico e Comendador da ALAMI,

Autor do livro “Família Muniz —

Tronco do Triângulo Mineiro”,

Autor do livro “O robô de bom coração”,

Autor do livro “Família Angelo —

Tronco do Triângulo Mineiro”.

 

E-mail: edsonmuniz1956@hotmail.com

 

* * * * *    

Clique aqui para voltar ao Menu

"Estudos sobre Heráldica e Vexilologia"

na página de Edson Angelo Muniz

 

 

* * * * *