FAMÍLIA MUNIZ
Tronco do Triângulo Mineiro

Autor: Edson Angelo Muniz

 


DORCINA MUNIZ DE OLIVEIRA
 

          Dorcina Muniz Teixeira nasceu na Fazenda Santa Bárbara, município de Ituiutaba, MG, em 24-02-1934, e faleceu nesta mesma cidade em 14-12-2008. Filha de José Muniz de Souza "Nenê Muniz" e de Helena Teixeira de Freitas "Lena". Casou-se com João Angelo de Oliveira "Neinho", filho de Francisco Gonçalves Angelo "Nêne Padeiro" e Perciliana Maria de Oliveira "Nêga". Neinho nasceu em 21-08-1931, na Fazenda Café, município de Ituiutaba, e faleceu em 17-07-1996. O casamento se deu em 31-10-1953, na Igreja Matriz de São José, em Ituiutaba. Não há registro em fotos. Ao se casar, ela passou a assinar Dorcina Muniz de Oliveira.

         O casal teve os seguintes filhos e netos:

 

1) Ednair Ângela Muniz nasceu em 12/09/1954 e c.c. Geraldo Deraldo de Oliveira

        Têm:

        Pierre Muniz de Oliveira, nasceu em 03/03/1973

        Flávio Muniz de Oliveira "Juninho", nasceu em 03/02/1975 250

        Luciano Muniz Oliveira, nasceu em 04/04/1979

        Geraldo Deraldo de Oliveira Filho "Geraldinho", nasceu em 22/05/1981

 

2) Edson Angelo Muniz (autor) nasceu em 24/03/1956 e c.c. Helice Aparecida Domingos Muniz, sua primeira esposa.

        Têm:

        Aline Domingos Muniz, nasceu em 28/01/1981

        (tem Edson Angelo Muniz Vieira "Edson Neto", que nasceu em 02/04/2002, e está grávida do segundo filho, que se chamará Bernardo Henrique.)

        Elisangela Domingos Muniz, nasceu em 01/03/1984.

 

        Edson se divorciou de sua primeira esposa e c.c. sua prima segunda, Onice Garcia Muniz "Nicinha". Não têm filhos.

 

 

3) Edilson José Muniz nasceu em 20/11/1958 e c.c. Rosa Pereira Silva Muniz

        Têm:

        Francis Persi Muniz, nasceu em 12/05/1987

        Franciele Persi Muniz, nasceu em 30/05/1988

        Raissa Persi Muniz, nasceu em 16/06/1990

 

4) Ednazir Angela Muniz nasceu em 24/11/1960

        Tem:

        Vinícius Angelo de Oliveira Muniz, nasceu em 10/10/1985

 

        Nota: Vinícius foi quem desenvolveu as primeiras páginas do site da Família Muniz.

 

* * * * *

        Deus, em sua infinita sabedoria, misericórdia e amor, enviou, para nos amar e nos proteger, uma fração da sua luz: DORCINA MUNIZ DE OLIVEIRA.
        Ela nasceu na Fazenda Santa Bárbara, no município de Ituiutaba, Minas Gerais, onde cresceu trabalhando na lavoura, no aconchego do lar sertanejo.
        Aos dezenove anos casou-se com o "Neinho" (João Angelo de Oliveira), com o qual teve quatro filhos. Viveu muitos e muitos anos lado a lado, ombro a ombro e em harmonia com seu esposo, até que Deus levou o seu parceiro, em 1996.
        Minha mãe é uma mulher muito simples, trabalhadeira, amorosa, meiga, caridosa e que lutou muito e luta bravamente pelo bem de seus entes queridos, seja esposo, filhos, irmãos, netos, bisnetos, sobrinhos...
        É muito difícil encontrar palavras para descrever uma mãe amorosa, por isso, transcrevi abaixo, em sua homenagem, e a todas as mães do mundo, o texto "Retrato de Mãe", escrito por Dom Ramon Angel Iara (Bispo de La Serena, Chile) e traduzido por Guilherme de Almeida, e também o poema "Minha Mãe", de minha autoria, tendo como co-autoras Dinamar Ferreira de Oliveira e Guilhermina Marques.

* * * * *

RETRATO DE MÃE

"Uma simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que, sendo moça, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças todas da juventude; quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida, e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças; pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões; viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que somos e tudo o que temos daríamos para vê-la de novo, e dela receber um aperto de seus braços, uma palavra de seus lábios."

* * * * *

MINHA MÃE

                    Nestas linhas escrevi pequena e simples canção,

                    falando de uma jóia rara que guardo no coração.

                    Foi ela que me deu a vida, muito amor e inspiração,

                    pra escrever esta homenagem com muita dedicação.

                    No jardim da minha vida, ela é uma flor especial,

                    seu amor puro e sincero é pra mim essencial.

                    Minha mãe! Fada encantada, a quem não quero perder,

                    ela é a minha estrela guia, que me dá a alegria

                    de sorrir... amar... sonhar... e viver...

 

                    Ofereço esta mensagem à minha mãe adorada,

                    que me dá força e coragem pra seguir minha jornada.

                    Quando me abraça sorrindo, eu não preciso mais nada,

                    e ela sempre se emociona quando é acariciada.

                    Eu cresci, chorei, sofri, mas nunca esqueço, quando criança,

                    do seu amor e desvelo que me deu fé e esperança.

                    Por isso fico feliz, pelo que agora me acontece:

                    que surpreendente maravilha! Minha mãe é minha filha,

                    à medida que envelhece.

 

                    Minha mãe! Santa criatura, presente que veio de Deus.

                    Mulher divina e querida, perdoe o que por mim sofreu.

                    Peço a Deus manter acesa a luz que brilha nos olhos teus,

                    pois sei que é funda a amargura, do filho que a mãe perdeu.

                    Oh! Senhor, eu Te imploro, protegei minha mãezinha,

                    ela é meu tudo: meu viver, minha luz e minha rainha.

                    No aconchego dos seus braços eu esqueço tudo na vida,

                    só fico sentindo o calor do profundo e mais puro amor,

                    da minha Mãezinha querida.

 

                    (maio/1988)

 

* * * * *

 

Em 2005, gravei um CD com poemas, um deles escrevi em homenagem à minha

 

MÃEZINHA QUERIDA

 

Clique no título acima para ler o poema.

 

*


Para ler outro texto sobre a Dorcina, clique aqui.

 

VOLTAR