SÃO  JOSÉ  DO  TIJUCO

VILLA  PLATINA

ITUIUTABA

 


* * * * *
 

BANDAS DE MÚSICA

 

 

              No princípio do ano de 1886, os cidadãos Francisco Gonçalves Moreira (Guató) e Pio Augusto Goulart Brum, para contribuir ao progresso do lugarejo, procuraram fazer uma subscrição entre amigos, e o que obtiveram, mandaram vir da praça do Rio de Janeiro nove instrumentos musicais: 1 bombardó, 1 bombardino, 1 piston, 2 saxofones, 1 requinta, 1 par de pratos e 1 bumbo. E logo que chegaram os ditos instrumentos doaram-nos à Matriz de São José, desejando-se conseguir a formação de uma banda de música com regulamento e programa. E em março de 1886, surgiu, no Distrito de São José do Tijuco, a primeira "Banda de Música", fundada por Padre Ângelo Tardio Bruno, sob a batuta do Maestro Francisco Gonçalves Moreira (Guató), que foi um dos doadores dos instrumentos musicais. Esta banda durou apenas um ano e, em 1887, foi fundada a segunda, por José Gonçalves Valim Piraí. A partir daí, outras bandas foram surgindo: em 1889, a "Lira Congressista" (foto abaixo), criada e dirigida por Coleto de Paula; em 1909, a "Banda Democrata", do Maestro Joaquim Teixeira do Amaral (Sr. Teixeira), que em 1910 passou a ser dirigida por Pedro Aguiar e José Itagiba, que transmitiram o cargo a Orestes Castanheira e Francisco Antonio de Lorena. Tivemos ainda as bandas dos Maestros: Francisco Vieira do Nascimento, Fábio Camargos, Militão, Tonato e outros.

 

 

Banda de Música "Lira Congressista", em uniforme de gala, com o seu imponente estandarte.

Antonio Lorena e Coleto de Paula, na primeira fila, assentados.
Músicos: Baixo-tuba: Veríssimo; Trombone: Fernando Terra, Arlindo Teixeira e José da Geracina;

Piston: Jerominho Músico; Bombardino: Coleto de Paula (Maestro) e Cézar Ferraz;

Clarineta (requinta): Francisco Lorena e Mário Ferreira; Sax mibemol: Durval Teixeira;

Baixo mibemol: Constâncio Ferraz; Tambor (rufo): filho do Lorena;

Bumbo: Nenê do Lorena; Triângulo: Anísio.

 


              Em 1922, veio da cidade do Prata, a convite da Câmara Municipal, o Maestro José Joaquim Pereira, vulgo "Zé Mestrinho", para reger a Banda Municipal. Nesta mesma época surgiu a "Banda Operária", onde todos os seus componentes eram operários ou artesãos. Em 1930, surge a "Enterpe Ituiutabana", fundada por Pedro Dias Barbosa, e apelidada pela população de "Furiosa". Com a morte do Maestro Pedro Dias Barbosa, em 1950, a Banda desapareceu, e em 1952 chega a Ituiutaba o Delegado de Polícia Argentino Corsino. Ele é natural de Salinas, Minas Gerais, e nasceu no dia 25 de julho de 1907. Foi maestro muitos anos em Belo Horizonte. Veio para Ituiutaba e reergueu a Banda, a partir de 1954, e neste ano a Banda já se apresentava em desfiles, retretas, etc. Argentino Corsino foi também professor de música por muitos anos no Instituto Marden.

 

              Argentino Corsino (o primeiro à esquerda da foto acima) foi o maestro que mais tempo passou à frente da Banda de Ituiutaba. O Maestro Corsino era também um exímio clarinetista, onde por diversas vezes, na falta de um músico, também tocava na banda. Ele era bastante severo e exigia o máximo dos músicos em termo de qualidades musicais. Com o apoio da Prefeitura Municipal, abriu uma escola de música ao lado da Delegacia. Em 1960 a banda participou do Concurso Nacional de Bandas de Música, no Rio de Janeiro, conseguindo uma brilhante colocação.

 

Banda Municipal de Ituiutaba
 

 

               O músico José Castanheira (Juquita Castanheira) nasceu em Ituiutaba, a 7 de setembro de 1923. Foi músico da Banda Municipal por 23 anos. Sempre demonstrou muita disciplina e dedicação à Corporação. Desde 1971, ocupava o cargo de sub-regente e em 1978 o de Maestro, ficando por apenas dois anos, vindo a falecer em 1979. Juquita faz parte do acervo de grandes compositores de dobrados que Ituiutaba já teve. Em reconhecimento à sua dedicação e ao trabalho ininterrupto por 23 anos, a Banda incorporou o seu nome, vindo a se chamar Banda Municipal de Música "José Castanheira", durante o mandato do Prefeito Acácio Alves Cintra Sobrinho (1977 a 1982).


              O Maestro Corsino aposentou-se em 1979, e faleceu em 19 de novembro de 1980. Ele foi substituído por Luiz Simões que ficou apenas quatro meses. Após a saída de Simões, assume o Maestro Milton Tostes, também por pequeno espaço de tempo, sendo substituído pelo Maestro Elias Antonio Dáia, que começou a reger a Banda Municipal em 2 de janeiro de 1980. Elias Antonio Dáia nasceu em Uberaba, MG, no dia 10 de junho de 1915. Aos 16 anos ingressou na Polícia Militar, onde durante 30 anos atuou como músico e sai com a patente de Tenente e excepcional comportamento. O Maestro Dáia foi o fundador de 31 bandas de músicas nos estados de São Paulo e Minas Gerais, e foi professor no Conservatório Estadual de Música de Ituiutaba durante 15 anos.


              Em 2002, a Banda Municipal de Música "José Castanheira" era regida pelo Maestro José Mauro Alves, professor do Conservatório Estadual de Música "Dr. José Zoccoli de Andrade".

 

              A Banda Mirim de Ituiutaba foi criada em março de 1968, e apresentou-se oficialmente no dia 1.º de maio do mesmo ano. Durou apenas 5 anos e teve seu final decretado no dia 17 de abril de 1973. A Banda Mirim tocava, ao lado da Banda Municipal, em todo o Pontal do Triângulo Mineiro. Foi a Banda escolhida para representar Ituiutaba no concurso "Mineiros Frente a Frente", no segundo semestre de 1971.

 

              Em 2001 a Banda Mirim "Elias Antonio Dáia" era regida pelo Maestro Sandro Aparecido dos Santos Lima, que foi o principal colaborador do autor do livro "Família Muniz" e deste site, fornecendo-lhe este breve histórico sobre as Bandas de Música de Ituiutaba.

 

VOLTAR