Apresentação

 

 

  Iniciei as pesquisas sobre a Família Angelo, para editar este livro, junto com as pesquisas do meu primeiro livro de Genealogia: Família Muniz — Tronco do Triângulo Mineiro. Guardei as anotações numa gaveta e dei prioridade à primeira obra. Depois do lançamento daquele livro, tirei da gaveta as anotações e concentrei-me nas pesquisas, relatando o tronco principal Angelo e as famílias ligadas a ele, por afinidade: Bernardes de Oliveira, Teixeira, Marques, Brito e outras.
       "Montar uma árvore genealógica é uma tarefa tão complicada quanto apaixonante e, até, viciante. Isto acontece por várias razões: somente no século 19 o registro de sobrenome tornou-se prática na Europa; no Brasil, somente a partir de 1916, com a introdução do Código Civil, é que foram estabelecidas regras para transmissão dos sobrenomes.
       Na Europa da idade média não se costumava utilizar um mesmo nome para identificar linhagens familiares. A identificação individual era dada por fatos relevantes da vida de uma pessoa, local de nascimento ou moradia, características ligadas à sua profissão ou mesmo características físicas. São exemplos os seguintes nomes: Machado, Sartre, Monteiro, Schumacher, Fischer, Galicia, Viñas, De Lucca.
       Quando da mudança da família de um país para outro, costumavam ocorrer muitos problemas de transliteração — que é a reprodução de um nome da língua original para outra língua. Alguns exemplos são: Vetter para Fetter e Avasto para Abasto. Esse fenômeno ocorreu de forma intensa com os italianos e alemães que aportaram no Brasil no século 19. Muitos imigrantes adotaram sobrenomes portugueses ou de seres da natureza para evitar problemas com a pronúncia ou grafia, com o preconceito e com as perseguições de natureza política ou religiosa. São exemplos algumas linhagens de Pinheiro, Cordeiro, Coelho, Figueira.
       Por tudo isso a ideia de fazer genealogia pode inibir muita gente. Mas somente até que se comece a pesquisa, pois após puxar o 'fio da meada', a paixão se acende e não se consegue mais parar. Esse fio pode ser uma foto antiga de família, um documento de casamento..."

 

 

* * * * *

 

VOLTAR